domingo, 5 de agosto de 2012

EU

nao quero mais falar de nada alem de tudo isso que esta dentro de mim
e tudo vem tao rapido
a vida nao me da tempo para respirar fazer pausas e pontuaçoes necessarias
compreenda quando me vir desse jeito
e o jeito que nasci
com erros
cheia de desvios de norma
sem hierarquias

mas com uma imensa ferida rasgando o peito
queimando a agua que insiste em molhar meu pes
queria ter algumas respostas pulsantes
urgentes morro sem encontra las nesse turbilhao em que se transformaram meus sonhos

lindos sonhos
nao    
sonhos loucos
impregnados de controversias exacerbadas
talvez nem tao lindos para serem impressos e colocados na folha de um livro
ou uma página virtual

mas incensos suaves para impelir meus passos
a caminhar adiante cada dia mais

queria ter escolhido o dia e a hora de meu nascimento
outro signo outra perspectiva
mas sou do ar
nao fixe meus pes no chao

Valéria Lourenço. (05/08/2012) às 22h12

3 comentários:

Ella ABp disse...

"mas incensos suaves para impelir meus passos
a caminhar adiante cada dia mais"
Adoro sinestesia. Cheguei a inspirar mais forte para sentir o cheiro da poesia.

"mas sou do ar
nao fixe meus pés no chao"
Então voe, Valéria, cada vez mais alto.

Fazia tempo que não visitava...
Amei passar esse breve tempo por aqui. Bjinhos.

Valéria Lourenço disse...

Stellinha, obrigada. Vou seguir voando, sim! Bjs.

emanuel souza carvalho disse...

vc como sempre me surpreendendo com seu texto e atitudes, tenho muito orgulho de vc! bjs meu amor!